Cirurgia a Laser em Otorrinolaringologia

A realização de cirurgia a laser em otorrinolaringologia atualmente é uma prática comum. Graças à evolução das fontes de laser, a abordagem de otorrinolaringologia cirúrgica foi revolucionada pela capacidade de realizar cirurgias minimamente invasivas e altamente precisas, adequadas para uma ampla gama de tratamentos para doenças de ouvido, nariz e garganta.

Veja neste artigo as principais vantagens deste procedimento e suas indicações.

Cirurgia a Laser em Otorrinolaringologia

Cirurgia a Laser em Otorrinolaringologia – Saiba Mais

As tecnologias de laser são projetadas para fornecer diversas opções de tratamento na sala de cirurgia ou no ambiente ambulatorial, sob anestesia local ou geral.

As indicações aprovadas para uso do laser incluem estapedotomia, neuroma acústico, colesteatoma, disfunção da trompa de Eustáquio, pólipos e tecido de granulação no conduto auditivo externo, otite média, atresia aural congênita, colesteatoma, otosclerose, estapedotomia de revisão e revisão de implante coclear.

O que É e Como Funciona o Laser?

Um laser é um dispositivo eletro-óptico que emite luz organizada em um feixe intenso e estreito. Atualmente, os lasers são usados ​​para uma ampla variedade de propósitos, incluindo (mas não se limitando a) fins médicos, industriais, eletrônicos de consumo e pesquisa.

A base física quântica dos lasers envolve uma compreensão dos níveis de energia dos elétrons de um átomo. Em um nível básico, a produção de lasers envolve a transição dos elétrons de um átomo entre diferentes estados de energia.

Quais São os Tipos de Laser?

Os lasers diferem no tipo de comprimento de onda que produzem e, como resultado, nas propriedades específicas de absorção tecidual. O efeito exato que um tipo de laser terá em um tecido específico varia com base no comprimento de onda do laser utilizado e no tipo de tecido a ser tratado.

Na área médica, escolhemos o laser específico utilizado para um dado procedimento com base no tecido a ser tratado (pele, mucosa, vasos, cicatriz, etc.) e o impacto desejado (ablação do tecido, coagulação do tecido, transmissão de energia mínima, etc.).

As duas tecnologias laser mais utilizadas na Otorrinolaringologia são o Laser de CO2 e o Laser de Diodo. A seguir, saiba mais sobre cada uma delas:

Laser de CO2

O laser de CO2 não é um laser visível. Assim, um raio de hélio-néon visível é utilizado para apontar o laser. Durante anos, pareceu ser o laser preferido para a microcirurgia a laser transoral devido ao seu corte preciso, dado que é melhor absorvido pela água. Seus principais usos na Otorrinolaringologia são:

  • Tratamento de Papilomatose Respiratória Recorrente – utilizado para ablação de papilomas nas vias aéreas. Não necessariamente cura a doença, mas permite o alívio da obstrução das vias aéreas com a ablação sintonizada de áreas específicas que podem não ser facilmente abordadas devido ao espaço limitado e ao potencial de danos a estruturas adjacentes;
  • Laringectomia Supraglótica;
  • Estapedectomia;
  • Tratamento do hemangioma subglótico.

Laser de Diodo

A portabilidade e a diversidade funcional desta tecnologia fazem dela uma alternativa razoável aos lasers convencionais. O laser de diodo tem excelentes propriedades hemostáticas como resultado da alta absorção pela hemoglobina e particularmente pela oxiemoglobina. Também é absorvido pela água, mas menos do que o laser de CO2.

Nossos resultados indicam que o uso deste laser é útil para aliviar a congestão nasal nos pacientes com disfunção dos cornetos e no controle de sangramento nasal no paciente com vasos sanguíneos evidenciados. Também é eficaz no tratamento de pacientes com pólipos e papiloma.

Quais os Benefícios da Cirurgia a Laser?

As principais vantagens da cirurgia a laser em otorrinolaringologia estão relacionadas a um melhor desempenho na sala de cirurgia, assim como períodos mais curtos de recuperação do paciente. Estas incluem, mas não estão limitadas aos seguintes:

  • Simplicidade;
  • Rapidez;
  • Cirurgia minimamente invasiva;
  • Tratamento preciso de áreas específicas da doença;
  • Preservação de tecido normal;
  • Evitar ou diminuir danos acidentais em estruturas adjacentes;
  • Tratamento em áreas de difícil acesso (base da língua, laringe, traqueia, orelha média, etc);
  • Possibilidade de operar em pacientes idosos, debilitados ou com marcapasso;
  • Hospitalização mais curta;
  • Resultados de oncologia cirúrgica iguais ou até melhores que os da cirurgia tradicional.

Existem Riscos na Cirurgia a Laser?

Existem riscos inerentes a todos os procedimentos cirúrgicos. Os riscos para qualquer procedimento variam com base em vários fatores diferentes. Os riscos do seu procedimento devem ser cuidadosamente discutidos com seu médico antes de se submeter a qualquer procedimento cirúrgico.

Call Now Button