Ronco: Sem Graça, Porém Tratável

Ronco: Sem Graça, Porém Tratável
5 (100%) 5 votos

tratamento do roncoAo menos 45% dos adultos normais roncam ocasionalmente e 25% habitualmente. O problema do ronco é mais frequente em homens, pessoas obesas, e piora com a idade.

Mais de 300 dispositivos estão registrados na Central de Patentes e Marcas dos Estados Unidos como cura para o ronco. Alguns são variações da antiga ideia de costurar um bolso nas costas do pijama que caiba uma bola de tênis para forçar o roncador a dormir de lado (o ronco frequentemente e pior quando a pessoa dorme de barriga para cima).

Alguns dispositivos reposicionam a mandíbula para frente, outros abrem a passagem aérea nasal, outros condicionam a pessoa a não roncar produzindo um estímulo desagradável quando ocorre o ronco. Mas se você ronca, a verdade é que isto não esta sob o seu controle consciente ou inconsciente. Se dispositivos anti ronco funcionam, é porque eles o mantêm acordado.

Dicas de autoajuda para o roncador

Adultos que sofrem de ronco leve ou ocasional podem tentar as seguintes recomendações:

1) Perder peso, praticar exercícios e adotar alimentação saudável.

2) Não ingerir tranquilizantes, soníferos, ou anti-histamínicos antes de dormir.

3) Evitar álcool pelo menos 04 horas e lanches ou refeições pesadas pelo menos 03 horas antes de dormir.

4) Manter sono regular.

5) Dormir de lado ao invés de dorso.

6) Manter cabeceira da cama 10 cm elevada.

Lembre-se, ronco significa obstrução respiratória, e obstrução pode ser grave.

Opções efetivas de tratamento para o ronco

O tratamento do ronco depende do que foi encontrado durante o diagnóstico, ou seja, se o ronco é causado por Apneia Obstrutiva do Sono, alergia nasal, infecção, deformidade ou aumento de amígdalas e adenoides ou até mesmo por deformidades craniofaciais. Em geral, ronco e Apneia Obstrutiva do Sono respondem a vários tratamentos.

Dentre as abordagens terapêuticas mais simples, podemos destacar:

– Orientação clinica geral e dietética

– Adaptação de aparelhos intra-orais

– Adaptação de aparelhos de respiração (PAPs)

– Tratamento cirúrgico através das mais modernas técnicas (ambulatoriais, radiofrequência, esclerosantes, entre outros)

– Cirurgias avançadas, de acordo com a gravidade do problema (uvulopalatofaringoplastias, cirurgias nasais, de base de língua)

Veja a seguir outros procedimentos indicados no tratamento do ronco e da Apneia Obstrutiva do Sono:

Uvulopalatofaringoplastia (UPFP): cirurgia que trata a Apneia Obstrutiva do Sono, enrijece os tecidos moles da garganta e palato e expande as passagens aéreas. É feita sob anestesia geral e exige internação hospitalar.

Somnoplastia (SM): é um procedimento minimamente invasivo, que pode ser feito em pacientes externos. Utiliza-se um eletrodo agulhado, que emite energia de radiofrequência para retrair o excesso de tecido das vias aéreas superiores, incluindo palato mole e úvula (para o ronco), base da língua (para apneia obstrutiva do sono) e conchas nasais (para obstrução nasal crônica).

Cirurgias de Avançamento Maxilo-Mandibular (AMM): procedimento cirúrgico que trata a Apneia do Sono grave. Previne o colapso da hipofaringe, pois puxa os músculos linguais para frente, abrindo as vias aéreas obstruídas. É indicado nos casos de apneia moderada ou grave, e que possuem alterações nos ossos da face.

Outras Cirurgias: Septoplastia, Turbinoplastia e plásticas nasais.

Se o paciente não quiser ser submetido a procedimento cirúrgico, ou este for de alto risco, deve dormir toda noite com máscara nasal, que promove pressão positiva contínua nas vias aéreas (CPAP – Continuous Positive Airway Pressure) na garganta.

Os aparelhos intra orais (AIO) também são opções de tratamento para o roncador que não pode ou não deseja ser submetido à cirurgia. Estes aparelhos são modelados por dentistas especializados em Medicina do Sono, de acordo com as características individuais de cada paciente.

Tratamento de ronco em crianças

Uma criança roncadora crônica deve ser investigada para problemas nas amígdalas e adenoides. Uma adenoamigdalectomia pode ser benéfica para o retorno da saúde plena da criança.

Comente