Julho Verde – Saiba Mais sobre o Câncer de Cabeça e Pescoço

julho-verde

O Dia Mundial de Conscientização e Combate ao Câncer de Cabeça e Pescoço é celebrado no dia 27 de julho. Por este motivo, durante todo esse mês, ocorre uma grande campanha de conscientização e prevenção ao câncer de cabeça e pescoço: o Julho Verde.

O objetivo da campanha é promover atividades de conscientização e informações referentes ao combate deste tipo de câncer, a respeito dos sintomas e das medidas preventivas, bem como alertar a população geral sobre a importância do diagnóstico precoce da doença.

Aproveitando o cenário atual do Julho Verde, neste artigo divulgaremos informações a respeito dos sintomas, fatores de risco e medidas preventivas contra o câncer de cabeça e pescoço, especialmente o câncer de laringe.

Julho Verde – Câncer de Cabeça e Pescoço

Segundo levantamentos de dados do INCA (Instituto Nacional de Câncer), o câncer de boca e laringe ocupa o segundo lugar entre os cânceres mais comuns em homens, atrás somente do câncer de próstata. São mais de 18 mil casos diagnosticados anualmente no Brasil. Entre as mulheres, configura o 5° câncer mais comum.

O câncer de cabeça e pescoço pode ocorrer na pele, lábios, tireoide, cavidade oral, nasofaringe, orofaringe, hipofaringe, laringe, cavidade nasal, seios paranasais e glândulas salivares, áreas que estão diretamente envolvidas nas funções de fala, respiração, deglutição, paladar, olfato e outros.

Julho Verde – Sinais e Fatores de Risco do Câncer de Cabeça e Pescoço

Uma das pautas abordadas na campanha Julho Verde é a conscientização a respeito dos sintomas do câncer de cabeça e pescoço.

Feridas que não cicatrizam, dificuldade para engolir ou movimentar a língua, nódulos persistentes no pescoço, rouquidão e alterações da voz são sintomas que devem despertar nossa atenção quando observados.

O aumento da incidência deste câncer tem sido atribuído à infecção pelo papilomavírus (HPV). O diagnóstico da doença têm sido cada vez mais frequente em pacientes com menos de 45 anos, com tumores originados pelo HPV.

Esta forma de contágio ocorre por meio da prática do sexo oral e em pessoas com múltiplos parceiros sexuais. Por este motivo, é cada vez mais necessário que a população seja conscientizada sobre a importância da proteção durante as relações sexuais.

O Câncer de Laringe

Os cânceres que surgem na laringe são malignidades devastadoras, responsáveis ​​por cerca de 200.000 mortes anualmente em todo o mundo. Embora isso represente apenas 2-5% de todas as neoplasias malignas, esses cânceres têm importância especial por causa de seus efeitos significativos na voz, na deglutição e na qualidade de vida.

O uso de tabaco é conhecido por ser o principal fator predisponente para o câncer de laringe. No entanto, o uso de álcool, deficiências nutricionais, predisposição genética e fatores virais também podem vir a desempenhar um papel desencadeante. A grande maioria (85-90%) dos casos são carcinomas de células escamosas que surgem da cobertura das cordas vocais.

Câncer de Laringe e Função Vocal

Conforme os tumores crescem, eles penetram nas vias aéreas e afetam os músculos da laringe. Esses músculos são de vital importância para proteger a traqueia durante a deglutição de sólidos, líquidos e saliva. Assim, o fechamento da laringe é incompleto e pode levar a tosse intensa, asfixia ou até pneumonia crônica.

A estrutura da laringe também fornece suporte rígido para a traqueia para facilitar a respiração. O comprometimento dessa função causa falta de ar, respiração ruidosa e dificultada.

Finalmente, a laringe é importante na comunicação. A parte superior é chamada de laringe supraglótica e consiste da epiglote; falsas cordas vocais e músculos de sustentação dentro da estrutura da “caixa” cartilaginosa chamada cartilagem tireoide. Quando o câncer cresce aqui, interfere com a deglutição e causa dor no ouvido, mas afetam apenas a voz de maneira menor, levando a fala “espessa”, voz de “batata quente” ou mudança no timbre. A parte inferior da caixa de voz contém as cordas vocais verdadeiras. O câncer nessa região, denominada glote, causa rouquidão significativa como sintoma primário.

Câncer de Cabeça e Pescoço – Formas de Prevenção

Sabendo que a infecção pelo HPV configura um importante fator de risco para o desenvolvimento do câncer, é um dever utilizar camisinha em todas as relações sexuais.

Além disso, é importante manter hábitos de vida saudáveis e uma boa higiene oral para prevenir a doença. Evitar o consumo de álcool e não fumar também é importantíssimo. Quando esses dois fatores são associados, o risco de uma pessoa saudável desenvolver algum tipo de câncer de cabeça e pescoço é multiplicado em até 20 vezes.

Consultas médicas e odontológicas de rotina são importantes aliadas na prevenção do câncer de cabeça e pescoço. Fazer o autoexame da boca periodicamente também é uma excelente forma de verificar se está tudo bem, e procurar ajuda médica rapidamente, se necessário.

Autoexame de Boca

O autoexame de boca trata-se de um procedimento muito simples que pode ser feito em casa. Siga os seguintes passos:

  • Na frente do espelho, analise seus lábios e verifique se há manchas ou feridas, vermelhas ou brancas, que não cicatrizam em uma média de 20 a 30 dias.
  • Confira também o céu da boca, as gengivas, as bochechas e a região localizada embaixo da língua.
  • Em seguida, apalpe a região do pescoço e do queixo, para conferir se há presença de caroços ou ínguas.
  • Em caso de dúvida, procure um médico o mais rápido possível. Com o diagnóstico precoce, as chances de cura podem chegar a 90%.

Realize o autoexame de boca e caso haja alguma anormalidade nas regiões analisadas, consulte o otorrinolaringologista de sua confiança o quanto antes. Lembre-se: quando mais cedo for obtido o diagnóstico, maiores as chances de cura.

Vamos abraçar a campanha Julho Verde! Informe-se e previna-se contra o câncer de cabeça e pescoço. Diante de dúvidas, consulte um especialista.

Artigo publicado em: 19/07/2018.

Artigo atualizado em: 01/07/2019.

Comente

Call Now Button