Mudanças no Estilo de Vida para Tratamento da Apneia do Sono

Mudanças no Estilo de Vida para Tratamento da Apneia do Sono
Avalie esta Matéria

A síndrome da apneia obstrutiva do sono é geralmente tratada com um dispositivo de pressão positiva contínua nas vias aéreas (CPAP), que o paciente usa durante o sono para ajudar a manter a respiração. Contudo, mudanças no estilo de vida também podem ser uma ferramenta eficaz para melhorar o quadro e ajudar no tratamento do paciente.

Veja neste artigo mais informações sobre o papel de um estilo de vida saudável como um importante aliado na melhora da qualidade de vida da pessoa com apneia do sono.

mudancas-no-estilo-de-vida-tratamento-apneia

Mudanças no Estilo de Vida

Embora não haja causa fisiopatológica definitiva da apneia do sono, a condição é considerada multifatorial e relacionada ao estreitamento das vias aéreas superiores, disfunção dos músculos inspiratórios superiores e aumento da inflamação local e sistêmica. Obesidade, tecidos nasais e faríngeos inchados e inflamados, além de aumento da adiposidade são todos possíveis fatores de risco para apneia do sono.

Além de usar terapias específicas que se aplicam a condições individuais, como o CPAP, o tratamento também deve incluir modificações no estilo de vida que reduzam o estado pró-inflamatório induzido pelo estilo de vida, que deve incluir modificações dietéticas e exercícios adequados.

Estas mudanças no estilo de vida ajudam no tratamento, reduzindo principalmente estes fatores de risco. Veja a seguir os pilares de uma vida saudável para a pessoa com apneia do sono.

Mudanças no Estilo de Vida – Dieta

Uma alimentação composta por alimentos, como: peixe, frutas e vegetais, temperos como alho, nozes e amêndoas, vinho tinto e chocolate amargo pode levar a uma redução de 60% na expressão de doenças cardiovasculares. Apesar do foco na doença cardiovascular, as mesmas recomendações podem ser aplicadas a muitas outras condições inflamatórias crônicas.

Basicamente, concentrar seu consumo em vegetais e frutas, fontes de ômega-3, proteína animal magra e castanhas cruas e depender menos de alimentos com maior índice de calorias é uma abordagem dietética idêntica à indicada para interromper a hipertensão arterial, por exemplo.

Na realidade, as doenças cardiovasculares a apneia do sono possuem uma íntima relação bidirecional, ou seja, ambas atuam como causa e consequência uma da outra.

Mudanças no Estilo de Vida – Atividades Físicas

Evidências de pesquisas epidemiológicas sugerem que indivíduos que são fisicamente ativos têm um risco reduzido de apneia obstrutiva do sono em comparação com indivíduos que são menos ativos.

Uma hipótese é que o exercício moderado reduz o acúmulo de líquido nas pernas e o deslocamento noturno deste fluido para a região das vias aéreas. O líquido redistribuído para o pescoço ao deitar-se à noite pode levar ao aumento da pressão tecidual ao redor das vias aéreas superiores, reduzindo seu tamanho e aumentando sua colapsibilidade.

Outra explicação sobre porque o exercício físico pode reduzir a gravidade da apneia do sono é que ele pode levar a modificações favoráveis na composição corporal, especificamente reduzindo a obesidade abdominal.

Mudanças no Estilo de Vida – Comportamento

A motivação é extremamente importante para ajudar os pacientes no autogerenciamento de qualquer condição crônica, como a síndrome da apneia do sono. As mudanças no estilo de vida são difíceis para a maioria das pessoas e, portanto, o apoio médico e familiar é extremamente importante.

Embora seja dito que muitos pacientes com apneia são incapazes de praticar um estilo de vida saudável e alcançar uma perda de peso sustentada, este sentimento não deve ser interpretado como uma razão para evitar o aconselhamento relacionado à vida saudável.

É importante que a pessoa com apneia e seus familiares mantenham uma atitude otimista na busca de modificações apropriadas no estilo de vida.

Mas também é necessário considerar que apenas as mudanças no estilo de vida, sem um acompanhamento médico para direcionar adequadamente cada prática, não é suficiente para promover resultados satisfatórios em seu tratamento.

Comente