Apneia do Sono e Perda de Memória – Compreenda os Aspectos dessa Relação

Apneia do Sono e Perda de Memória – Compreenda os Aspectos dessa Relação
Avalie esta Matéria

A relação entre apneia do sono e perda de memória vem agregando cada vez mais evidências científicas. Inúmeros estudos indicam que a condição reduz a qualidade de vida dos pacientes. Até mesmo os casos de apneia do sono classificados como mais leves apresentam dificuldades para a realização de suas tarefas cotidianas.

Ao longo deste artigo, saiba mais informações sobre como a apneia do sono interfere nas habilidades cognitivas e como evitar essas complicações.

apneia-do-sono-perda-de-memoria

Apneia do Sono e Perda de Memória

As alterações cognitivas na apneia do sono podem ser manifestadas de formas variadas, incluindo déficit do processamento cognitivo, perda de memória, atenção e funções executivas. Acidentes de trânsito e de trabalho são importantes marcadores da influência da apneia do sono no desenvolvimento desses problemas.

Isso ocorre porque o distúrbio do sono pode privar o cérebro, bem como outros órgãos, da quantidade de oxigênio que necessitam. Tal privação pode resultar, a longo prazo, em um declínio da capacidade cognitiva dos pacientes.

A redução nos níveis de oxigênio não é o único motivo para que a apneia do sono favoreça o declínio cognitivo. O problema também estimula o desenvolvimento da doença de Alzheimer, ao evitar que ocorra uma adequada desintoxicação do organismo durante o sono.

Os efeitos da apneia do sono nas habilidades cognitivas podem incluir alterações no processamento cognitivo, na atenção sustentada e/ou dividida, nas funções executivas, principalmente a memória.

Apneia do Sono e Disfunções do Processamento Cognitivo

Pacientes com apneia do sono apresentam maior comprometimento do processamento cognitivo. Como esta é a habilidade de compreender uma informação, isso pode ocasionar uma lentificação para a execução de tarefas, assim como o aumento do número de erros e também a redução de respostas completas, quando comparados a pessoas com a mesma idade e grau de instrução, mas que não apresentam a condição.

Apneia do Sono e Disfunções de Memória

Entre os processos envolvidos na habilidade de memória, estão o registro de informações, a memória de curto prazo, a repetição, a memória de longo prazo e a recuperação da informação armazenada.

O processo de registro, também chamado memória sensorial, é o primeiro reconhecimento de um estímulo. A redução do grau de alerta, característica principal do comprometimento mental pela apneia do sono, interfere negativamente nesse aspecto da memória, assim como na capacidade de armazenar, reter e recuperar informações.

Apneia do Sono e Disfunções de Atenção

A habilidade de atenção envolve processos e capacidades que estão relacionados à forma como os estímulos são recebidos e processados. A atenção pode acontecer de maneira sustentada ou em fases, de acordo com a mudança do estímulo.

A atenção sustentada, conhecida também como concentração, é a principal capacidade avaliada para se estabelecer o nível de sonolência diurna, já que seu comprometimento está associado ao aumento na frequência de acidentes.

Conforme mais tempo é necessário para se realizar uma tarefa, torna-se mais difícil manter a capacidade de permanecer atento. Isto pode influenciar no desempenho, algo frequentemente visto em pacientes com apneia do sono.

Apneia do Sono e Disfunções das Funções Executivas

As funções executivas são as habilidades relacionadas aos comportamentos intencionais, independentes e relacionados ao funcionamento do lobo frontal.

Mesmo quando ocorre perda da função cognitiva, se as funções executivas continuam preservadas, o paciente continua tendo capacidade para levar uma vida autônoma e produtiva. Entretanto, quando as funções executivas estão comprometidas, o indivíduo torna-se incapaz de cuidar de si mesmo, trabalhar independentemente e relacionar-se satisfatoriamente.

O paciente que apresenta perda das funções executivas sente uma redução em sua motivação, tendo dificuldade para iniciar uma atividade, planejar e executar tarefas que necessitam de um comportamento mais focado.

Apneia do Sono e Perda de Memória – A Qualidade do Sono no Funcionamento Cerebral

A qualidade do sono também é importante para o bom funcionamento do cérebro, pois promove a preservação das bainhas de mielina (uma espécie de capa protetora dos neurônios) e a proliferação de células precursoras de oligodendrócitos: as células que fornecem a sustentação mecânica e nutritiva para os neurônios do sistema nervoso central.

Os distúrbios respiratórios durante o sono são os principais responsáveis pela má qualidade do sono e têm sido associados a alterações na substância cinzenta e também na microestrutura da substância branca. Isto pode contribuir para o comprometimento da conectividade funcional entre os neurônios e, consequentemente, a maiores níveis de declínio cognitivo.

Apneia do Sono e Perda de Memória – A Importância da Prevenção

É importante ficar atento aos sintomas da apneia do sono, principalmente nos indivíduos mais idosos, que estão mais propensos a apresentar problemas cognitivos.

Se você sente que não está dormindo bem, procure o médico do sono para uma avaliação e previna esta e outras complicações dos distúrbios do sono. Não deixe de buscar ajuda, no sentido de melhorar a qualidade do seu sono, impedir ou atrasar a perda de memória e outros problemas cognitivos.

Comente