Conheça a Laringomalácia

Avalie esta Matéria

a-laringomalacia

Laringomalácia é uma anormalidade em que ocorre um atraso de maturação das estruturas de suporte da laringe. Essa condição faz com que a cartilagem laríngea caia na via aérea ao respirar. Isso pode causar um bloqueio parcial das vias aéreas, levando a respiração ruidosa, especialmente quando a criança está deitada de costas.

Neste artigo, saiba mais sobre esta condição congênita muito comum em bebês e jovens.

A Laringomalácia

É uma lesão que resulta em colapso das estruturas supraglóticas durante a inspiração, levando à obstrução das vias aéreas. A laringomalácia é a causa mais comum de estridor congênito, sendo a lesão congênita mais comum da laringe.

A Laringomalácia pode ser diagnosticada como leve, moderada ou grave, sendo que a maioria dos lactentes nascidos com laringomalácia têm tipos leves ou moderados.

Laringomalácia leve envolve respiração ruidosa, sem nenhum outro problema de saúde, sendo superada em aproximadamente 18 meses. Laringomalácia moderada inclui problemas com a alimentação, regurgitação, refluxo e retrações torácicas. Já nos casos mais graves pode incluir problemas de alimentação, assim como apneia e cianose.

Sintomas da Laringomalácia

O principal sintoma da laringomalácia é a respiração ruidosa, também conhecida como estridor. É um som agudo ouvido quando o bebê inala. Para uma criança com laringomalácia, o estridor pode ser óbvio no nascimento.

O problema pode piorar quando a criança está de costas ou quando está chorando. Bebês com laringomalácia também podem apresentar retrações ao redor do pescoço ou tórax ao inalar.

Uma condição comum associada é o distúrbio de refluxo gastroesofágico, quando o ácido digestivo sobe do estômago para o esôfago causando dor. Esta patologia pode causar sofrimento considerável a uma criança pequena, pois a sensação é ardente e irritante, podendo levar a criança a regurgitar, vomitar e a ter dificuldade para ganhar peso.

Outros sintomas de laringomalácia mais grave incluem: dificuldade para alimentação; asfixia ao engolir; comida ou líquidos entrando nos pulmões; pausas respiratórias e cianose (condição em que a pele torna-se azulada, devido aos baixos níveis de oxigênio no sangue).

Causas da Laringomalácia

Não está exatamente claro por que algumas crianças desenvolvem laringomalácia. A condição é considerada como um desenvolvimento anormal da cartilagem da laringe ou de qualquer outra parte da caixa de voz. Também pode ser o resultado de um distúrbio neurológico que afeta os nervos das cordas vocais.

A laringomalácia é ocasionalmente associada a certas condições hereditárias, como disgenesia gonadal e síndrome de Costello. No entanto, os membros da família que têm uma síndrome particular não têm necessariamente os mesmos sintomas, nem todos têm laringomalácia.

Diagnóstico da Laringomalácia

Identificar sintomas como o estridor e observar quando eles acontecem pode ajudar o médico no processo de diagnóstico.

O exame primário para o diagnóstico de laringomalácia é a nasofaringolaringoscopia, exame em que um aparelho muito fino equipado com uma pequena câmera é guiado suavemente por uma das narinas até a garganta, para que o médico verifique  a estrutura da laringe.

Se necessário, o médico pode solicitar outros exames, como radiografia de tórax e pescoço e fluoroscopia das vias aéreas. O exame de avaliação endoscópica funcional da deglutição pode ser feito se houver problemas significativos de deglutição junto com a aspiração.

Tratamento da Laringomalácia

Em mais de 90% dos casos, a lesão melhora gradualmente e os ruídos desaparecem aos 2 anos. Em alguns casos, os sinais e sintomas se dissipam, mas a patologia pode persistir na infância e na idade adulta. Nesses casos, os sintomas ou sinais podem recorrer com exercício ou com infecções virais.

Quando a laringomalácia passa a causar problemas de alimentação que estão impedindo o ganho de peso ou se ocorrer cianose, a cirurgia pode ser necessária.

O tratamento cirúrgico padrão geralmente envolve um procedimento chamado laringoscopia direta e broncoscopia, que fornecem uma visão mais clara da laringe e da traqueia. A seguir, é realizada a cirurgia de supraglotoplastia, podendo ser feita de forma tradicional ou com laser, de acordo com a indicação.

A cirurgia envolve a divisão da cartilagem da laringe e da epiglote, o tecido na garganta que cobre a traqueia. A cirurgia também envolve reduzir ligeiramente a quantidade de tecido logo acima das cordas vocais.

Felizmente, a maioria dos casos de laringomalácia não necessita de cirurgia, sendo necessário apenas cuidados extras. O acompanhamento frequente do médico otorrino é extremamente importante para evitar complicações.

Comente