Prognóstico e Diagnóstico do Ronco

Prognóstico e Diagnóstico do Ronco
5 (100%) 16 votos

prognostico-diagnostico-do-ronco

O ronco é um som produzido pela vibração dos tecidos moles das vias aéreas superiores durante o sono. Geralmente ocorre durante a inspiração, mas também pode ocorrer durante a expiração. Ronco habitual é comum, ocorrendo em 44 por cento dos homens e 28 por cento das mulheres que estão entre 30 e 60 anos de idade na população em geral.

Sintoma comum causado por um espectro de distúrbios respiratórios desordenados do sono, variando de ronco simples intermitente a ronco pesado, síndrome de resistência das vias aéreas superiores e apneia obstrutiva do sono, pode ser um problema significativo para o paciente e seu parceiro de cama e ser socialmente perturbador.

Continue a leitura e saiba mais sobre o ronco, as condições de saúde associadas e seu diagnóstico.

O Diagnóstico do Ronco

Pessoas que roncam com facilidade, em qualquer posição, devem procurar auxílio médico para descartar a possibilidade de a apneia do sono ser o problema.

Por meio de um exame completo de nariz, boca, garganta, palato e pescoço, o otorrinolaringologista realiza o diagnóstico e poderá indicar o tratamento adequado.

Os laboratórios do Sono contam com técnicos especializados e modernos equipamentos necessários ao correto diagnóstico do ronco, como a polissonografia, um exame que determina a gravidade do ronco e da apneia, e o efeito sobre a saúde do paciente. Atualmente, o estudo do sono domiciliar também pode ser realizado, por meio da tecnologia Whatch-PAT.

Diagnóstico do Ronco – Causas para o Ronco

O ronco ocorre quando há uma obstrução à livre passagem de ar, através da parte de trás da boca e do nariz. Esta é a área colapsável das vias aéreas, onde a língua e a parte superior da garganta encontram o palato mole (céu da boca) e a úvula (campainha). O ronco também pode ocorrer quando estas estruturas batem umas nas outras e vibram durante a respiração.

As características clínicas comuns em pacientes que roncam são obesidade, retrognatia, língua grande e grandes amígdalas.

Ronco na infância é mais comumente devido à hipertrofia adenotonsilar e geralmente se resolve com a idade, mas se associada à apneia obstrutiva do sono pode ser tratada por uma adenotonsilectomia.

Deformidades craniofaciais com reposicionamento dos ossos da face também podem obstruir as vias aéreas durante o sono, produzindo apneias graves. Pessoas que roncam ainda podem sofrer de:

  • Tônus muscular reduzido na língua e garganta – Quando os músculos estão demasiadamente relaxados, por ingestão de álcool ou drogas, isto causa sonolência, a língua cai para trás e os músculos da garganta fecham lateralmente as vias aéreas, isto também acontece em sono profundo.
  • Tecido da garganta excessivamente volumoso – Isto acontece em crianças com aumento de amígdalas e adenoides, além das pessoas obesas, com excesso de gordura no pescoço.
  • Cistos ou tumores cervicais – Apesar de serem raros, fazem volume e frequentemente levam ao ronco.
  • Palato mole e/ou úvula longa – Um palato mole (céu da boca) longo estreita a abertura do nariz na garganta. Quando vibra, age como uma válvula móvel e barulhenta, durante a respiração relaxada. Uma úvula (campainha) longa faz barulho muito pior.
  • Vias aéreas nasais obstruídas – Um nariz obstruído ou bloqueado requer esforço extra para puxar o ar através dele. Isto determina um vácuo exagerado na garganta, puxando os tecidos moles, resultando em ronco. Portanto, em algumas pessoas o ronco ocorre apenas durante quadro de rinite alérgica ou infecções sinusais (sinusites). Deformidades do nariz ou septo nasal também podem levar a obstrução das vias aéreas nasais.

Prognóstico e Diagnóstico do Ronco

O ronco se torna mais comum com o aumento da idade e piora com o aumento do peso corporal. Portanto, para muitos indivíduos, o ronco piora gradualmente ao longo do tempo. Tratamentos, incluindo a cirurgia, podem efetivamente curar o ronco inicialmente. Com o tempo, alguns dos pacientes com sucesso inicial no tratamento podem recidivar com o ronco, muitas vezes devido ao ganho de peso.

Os pacientes devem ser acompanhados após a intervenção e se um tratamento não produzir ou manter um resultado satisfatório, pode ser possível repetir esse tratamento ou outra abordagem terapêutica pode ser tentada. Por exemplo, a radiofrequência para o palato mole e a base da língua pode ser repetida, mas se ainda for ineficaz, pode ser tentado um dispositivo de avanço mandibular (MAS).

Os pacientes devem ser aconselhados a evitar o álcool (particularmente antes de dormir), fumar e medicamentos sedativos. Pacientes com sobrepeso e obesos devem ser encorajados e instruídos em métodos para perder peso.

Se os pacientes apresentarem congestão nasal ao se deitarem, podem ser aconselhados a dormir com a cabeça elevada para reduzir o congestionamento hidrostático. Se o ronco só ocorrer ou piorar, dormindo na posição de costas, os pacientes devem ser aconselhados sobre o uso de dispositivos para desencorajar a deitar de costas durante o sono.

Não deixe de procurar ajuda de um médico do sono para investigar o seu ronco. Isso é importante para evitar complicações e melhorar sua qualidade de vida.

Artigo publicado em: 26/06/2017.

Artigo atualizado em: 28/03/2019.

Comente