Edição de Agosto da National Geographic Brasil – Matéria Completa sobre o Sono

Edição de Agosto da National Geographic Brasil – Matéria Completa sobre o Sono
Avalie esta Matéria

Você viu a edição de agosto da revista National Geographic Brasil? Foi uma cobertura completa sobre o sono, como ter uma noite de sono saudável e os fatores que nos impedem de dormir bem.

Neste artigo, vamos fazer um resumo da matéria, para que você possa aproveitar um pouco desse conteúdo extraordinário.

importa-se

Edição de Agosto da National Geographic

Durante o sono, nosso cérebro não apenas atenua a consciência: ele altera profundamente seu comportamento. Neste período, ficamos quase paralisados, nossos olhos podem se movimentar de um lado para o outro e os minúsculos músculos no ouvido médio também se movem.

Tudo que aprendemos sobre o sono demonstra a sua importância para nossa saúde física e mental. Tanto que o padrão sono-vigília é uma característica própria e fundamental da biologia humana, no sentido de adaptação à vida.

Ciclos do Sono

Uma noite bem-sucedida de sono apresenta quatro ou cinco vezes um ciclo com várias etapas, cada uma com características e objetivos diferentes. Veja a seguir quais são estes estágios.

Estágios 1 e 2

Nosso corpo não percebe o momento em que saímos do estado de vigília para o sono. Ao deitarmos na cama e fecharmos os olhos, nossos neurônios logo entram em um novo ritmo de transmissão de sinais elétricos e químicos, ao mesmo tempo em que nossos receptores sensoriais são abafados.

Ao invés de uma transmissão agitada, como quando estamos despertos, eles passam a emitir os sinais de forma uniforme e rítmica, que pode ser identificada no eletroencefalograma por linhas onduladas nítidas.

Esta é a etapa 1: o estágio superficial do sono, que dura cerca de 5 minutos, até que uma série de faíscas elétricas, os “fusos”, percorrem e estimulam o córtex cerebral, de forma que ele preserve a informação adquirida durante o dia. Este é o estágio 2, que pode durar em torno de 50 minutos.

Você está lendo: resumo da edição de agosto da National Geographic – Cobertura completa sobre o Sono.

Estágios 3 e 4

Nestes estágios, ocorre o sono profundo: um nível bem intenso de desativação cerebral. Estas etapas diferem uma da outra apenas pelo percentual de atividade cerebral composta de grandes ondas delta, que estão presentes em menos da metade da duração do estágio 3 e no estágio 4 em mais da metade.

É neste período que nosso organismo produz o hormônio do crescimento, essencial para todo o processo de reparação de ossos e músculos, atuando também na manutenção do sistema imunológico.

Após o estágio 4, retornamos para os estágios 3, 2 e 1, até voltarmos a acordar. Isso pode acontecer várias vezes por noite, embora não percebamos isto na maioria das vezes.

O Sono REM

O tipo de sono conhecido como “movimento rápido dos olhos” foi considerado por muito tempo como uma variação do estágio 1. No entanto, a descoberta de que praticamente todos os sonhos vívidos ocorrem nessa etapa levou a comunidade científica a considerar este como um estágio diferenciado do sono.

Em geral, o sono saudável começa com uma descida cíclica até o estágio 4, seguida de um retorno momentâneo por todos os estágios até o estado de vigília e, a seguir, um período de sono REM de aproximadamente 20 minutos.

É durante o sono REM que ocorre a síntese de proteínas em nível celular, a consolidação das lembranças e os processos essenciais para a regulação do humor.

Recentes pesquisas demonstram que, quando este ritmo circadiano torna-se desorganizado, o risco de doenças como diabetes, demência e problemas cardíacos aumenta.

Você está lendo: resumo da edição de agosto da National Geographic – Cobertura completa sobre o Sono.

Edição de Agosto da National Geographic – O Que Acontece Quando não Dormimos Bem?

Quando não dormimos de forma satisfatória, a primeira região cerebral que passa a apresentar falhas é o córtex pré-frontal, que nos permite tomar decisões e resolver problemas. Por este motivo, quem dorme mal passa a se irritar com mais facilidade e ser menos racional.

Em certa medida, todas as funções cognitivas são afetadas pelo sono não reparador: o risco de problemas como depressão, psicose e acidente vascular cerebral aumentam, assim como a probabilidade de desenvolver obesidade, diabetes e pressão alta.

Quando estamos despertos, nosso cérebro se ocupa com nossas atividades cotidianas. No entanto, ao dormirmos, é certo dizer que este órgão se recicla, se reinventa, no sentido de nos fazer uma pessoa melhor do que no dia anterior. Se você vem enfrentando problemas para vivenciar estes momentos de descanso de forma satisfatória, não deixe de procurar um médico do sono.

Comente