Exame do Sono – Saiba Mais

Exame do Sono – Saiba Mais
5 (100%) 3 votos

exame-sono

 

A polissonografia também é conhecida como exame do sono. Isto porque este exame é realizado para a investigação de uma série de distúrbios do sono. Mas você sabe como ela é feita e quando o médico pode solicitar este procedimento diagnóstico? Fique conosco neste artigo e saiba mais sobre o assunto.

Exame do Sono – A Polissonografia

A origem da palavra polissonografia vem do grego (do grego: polis = muitos; somnus = sono; e graphos = escrita). Isto significa que é realizada uma análise de múltiplos parâmetros, durante o sono natural do indivíduo.

O seu principal objetivo é registrar as variações fisiológicas que ocorrem durante esse período de tempo e definir suas possíveis anormalidades e disfunções.

Sua execução é feita através de sensores. A pessoa dorme com sensores fixados em seu corpo, podendo, contudo, se movimentar normalmente durante o sono. O exame não pode ser um empecilho na hora do descanso, pois isso poderia interferir nos resultados.

A polissonografia não é invasiva nem dolorosa, já que não utiliza agulhas ou algum instrumento semelhante. Assim, também não envolve qualquer risco para o paciente.

Exame do Sono – Por Que Realizar?

O sono é uma necessidade básica de todo ser humano. Sua necessidade é variada de pessoa para pessoa e também se modifica conforme a idade. Enquanto um bebê, ao nascer, dorme cerca de 80% de seu tempo, uma pessoa mais velha pode dormir entre 3 a 7 horas por dia.

Por meio de muitas pesquisas, hoje sabemos que o sono não é um processo contínuo que se inicia ao adormecer e finaliza ao despertar. Ele passa por ciclos. Antigamente, o ato de dormir era considerado uma ausência total de estímulos sobre o corpo: o estado de coma era o seu comparativo.

Atualmente, sabe-se que dormir é um processo totalmente ativo, que possui modificações corporais e neurológicas significativas, como na pré-adolescência, em que estimula o crescimento saudável. Além disso, o sono recebe a influência de fatores ambientes, que podem modificá-lo consideravelmente.

Algo que a polissonografia avalia são esses ciclos do sono: se estão sendo realizados adequadamente, além de outros fatores, como a mecânica respiratória e a oxigenação sanguínea durante o sono.

Exame do Sono – Analisando os Ciclos do Sono

As etapas do sono são conhecidas e definidas enquanto:

  • Sono não-R.E.M: essa etapa apresenta quatro fases (estágios I, II, III, IV). É caracterizado por um relaxamento muscular progressivo, com a manutenção do tônus muscular, ausência de movimentos oculares rápidos, redução progressiva dos movimentos, com eletrocardiograma e respiração regulares. Também há nesse processo o aumento de ondas lentas no eletroencefalograma. Após essas etapas, segue o sono R.E.M.
  • Sono R.E.M: nesse processo, ocorrem os movimentos oculares rápidos, também é denominado de sono rápido, sono dessincronizado, sono ativado ou sono paradoxal. Esse tipo de sono é marcado por se parecer o estado de vigília, com sono profundo, aceleração da respiração, elevação da temperatura e aumento da pressão arterial. Também há secreção de hormônios, movimentos rápidos, sincrônicos, conjugados e horizontais de ambos os olhos.

Como é Realizado o Exame do Sono?

O procedimento, denominado também polissonografia, é realizado durante o período da noite, em que sensores são colocados sobre a pele do paciente, com o uso de esparadrapos antialérgicos e um pequeno clipe no dedo é usado, para complementar o monitoramento do exame.

Esses sensores irão auxiliar o registro de ondas cerebrais, o nível de oxigênio encontrado no sangue, frequência respiratória e cardíaca, movimentos realizados pelo corpo e movimento dos olhos.

As informações coletadas pelos aparelhos computadorizados de análise são organizadas e analisadas em tempo real.

O processo pode ser estranho ao paciente, pois é necessário dormir em circunstâncias que ele não está acostumado. Contudo, em sua maioria, o exame ocorre sem complicações momentâneas ou posteriores. O paciente obtém o diagnóstico correto e pode proceder com o tratamento adequado para o seu problema.

Quem Precisa Fazer uma Polissonografia?

A polissonografia deve ser realizada por pacientes que apresentam ronco, apneia do sono, dispneia, sonolência excessiva durante o dia, uma sensação cotidiana e repetitiva de que o sono não recarrega todas as energias, hipertensão grave, problemas de memória ou sono agitado.

A polissonografia, conhecida como exame do sono, é o exame padrão para obter o diagnóstico de distúrbios do sono em crianças, jovens, adultos e idosos.

Polissonografia tipo 4 ou Watch-PAT

A polissonografia tradicional (em laboratório) é um exame que pode considerar custos mais altos e filas de espera para ser realizada. Devido a esses fatores, recentemente foram desenvolvidos os dispositivos portáteis, possibilitando a realização de polissonografias domiciliares.

Entre eles, o que mais se destaca é o aparelho Watch-PAT, baseado na tecnologia da Tonometria Arterial Periférica (PAT). Ele faz uso de somente um sensor no dedo indicador, actígrafo e um oxímetro, para a avaliação do Índice de Apneias e Hipopneias (IAH).

Ele não necessita de todos os dispositivos e estruturas do exame do sono tradicional e possui em seu instrumento sensores de posição e ronco. Ele pode ser realizado no conforto da casa do paciente, com fácil manuseio. Marque uma consulta para saber como realizar este exame.

O exame do sono, conhecido pelo nome científico de polissonografia, é expert em seus resultados. Utilizando tecnologias de ponta, ele consegue identificar os diferentes distúrbios e disfunções do sono.

É importante complementar que é necessária uma devida orientação médica para o diagnóstico e tratamento dos distúrbios do sono. Marque uma consulta e tire todas as suas dúvidas.

Artigo publicado em: 26/11/2017.

Artigo revisado em: 16/08/2018.

Comente