Rinite Vasomotora – Conheça esta Inflamação Nasal Frequente no Inverno

rinite-vasomotora-inflamacao-nasal

A rinite vasomotora, também chamada rinite não alérgica, não infecciosa ou rinite irritativa é uma condição caracterizada por episódios intermitentes de espirros, drenagem nasal aquosa (rinorreia) e congestão de vasos sanguíneos das membranas mucosas nasais.

Continue a leitura deste artigo e saiba mais sobre este incômodo tipo de inflamação nasal, muito comum neste período de mudança de temperatura.

A Rinite Vasomotora

Acredita-se que a rinite vasomotora resulta de um distúrbio na regulação dos sistemas parassimpático e simpático do Sistema Nervoso Autônomo. Neste caso, o sistema parassimpático domina, resultando em vasodilatação e edema da vasculatura nasal. Ar frio, odores fortes, estresse ou substâncias irritantes inaladas podem exacerbar os sintomas. Altos níveis de ansiedade também podem favorecer o aparecimento da rinite vasomotora.

Parece haver uma resposta hipersensível a estímulos, como atmosfera seca, poluentes do ar, alimentos condimentados, álcool, emoções fortes e alguns medicamentos. Na verdade, qualquer material particulado no ar, incluindo pólen, poeira, mofo ou pêlos de animais, pode incomodar as pessoas com a rinite vasomotora, mesmo que elas não sejam alérgicas a essas coisas.

Rinite Vasomotora x Rinite Alérgica

A classificação da rinite há muito vem sendo debatida na comunidade médica. A rinite é classificada como alérgica ou não alérgica, com a rinite vasomotora na classe não alérgica. Os sintomas da rinite alérgica e não alérgica são parecidos, mas as causas parecem ser completamente diferentes.

As principais manifestações da rinite alérgica são desencadeadas pela exposição a agentes externos que induzem uma resposta alérgica e incluem prurido nasal, rinorreia clara, gotejamento nasal e obstrução nasal causada por inflamação das membranas mucosas nasais.

A rinite não alérgica possui um diagnóstico de exclusão, podendo ser esporádica ou frequente, com sintomas de rinorreia clara ou congestão com espirros menos intensos, prurido nasal e irritação da membrana mucosa que reveste a parte posterior da pálpebra.

Esses sintomas são excessivos às vezes e são exacerbados por certos odores (por exemplo, perfumes, fumaça de cigarro, vapores de tinta); álcool; alimentos picantes; emoções e fatores ambientais, como temperatura, mudanças de pressão barométrica e luzes brilhantes.

Diagnóstico

O quadro de rinite vasomotora é geralmente diagnosticado por uma análise cuidadosa do histórico médico e pela realização de um exame completo do nariz e da garganta. Além disso, o teste de alergia (teste cutâneo) deve ser realizado para garantir que não haja base alérgica para os sintomas, pois isso afetaria a abordagem de tratamento.

Em alguns casos, pode ser necessário realizar exames de imagem dos seios da face, para excluir sinusite crônica ou polipose. Ocasionalmente, reações de teste cutâneo positivo (poucas, geralmente leves) são encontradas em pacientes com rinite vasomotora, mas não se encaixam na história e, portanto, não são relevantes como causa da rinite.

Tratamento

Uma vez que um de rinite vasomotora tenha sido feito, o paciente deve ser orientado a evitar desencadeadores ambientais conhecidos, tanto quanto possível. Estes podem incluir odores (por exemplo, fumaça de cigarro, perfumes, água sanitária, formaldeído, jornal ou outras tintas); tabaco; estímulo luminoso; mudanças bruscas de temperatura; e alimentos quentes ou picantes.

Uma abordagem farmacológica gradual pode então ser empregada, com base nos sintomas predominantes do paciente. Se o sintoma de apresentação é apenas rinorreia, um medicamento anticolinérgico tópico é o primeiro passo. Apenas com congestão nasal e obstrução, os corticosteroides tópicos seriam um bom ponto de partida para a terapia. Se o paciente apresentar toda a gama de sintomas, incluindo rinorreia com espirros, gotejamento nasal e congestão, um anti-histamínico tópico pode ser iniciado.

O exercício físico, benéfico para a saúde geral, pode ser uma adição útil ao tratamento, pois produz uma diminuição da resistência das vias aéreas e auxilia no descongestionamento nasal natural. O efeito do exercício sobre o descongestionamento nasal é de curta duração, mas tem vários outros benefícios e pode ser repetido.

O seu médico otorrinolaringologista pode lhe ajudar a escolher o esquema terapêutico mais indicado para o seu caso.

Comente

Call Now Button